Skip to main content

Posts

VISITA DE ESTUDO

VISITA DE ESTUDO


     Deputados dos dois partidos políticos que formaram o anterior Governo, de péssima memória, realizaram na semana passada uma visita de estudo à unidade militar de Tancos, na sequência da deliberação da constituição de uma comissão parlamentar de inquérito, a propósito do chamado "roubo das armas de Tancos".

     Pretende tal comissão certificar, para que fique oficialmente preto no branco, tudo o que se passou com o estranhíssimo caso. Serão identificados todos os responsáveis (ou quase todos), e apurados todos os factos, o que se afigura tarefa de hercúlea dimensão. O costume!

     Alguma coisa mais se há-de efectivamente saber, porque uma grande parte do sucedido já foi amplamente debatido no parlamento por todos os partidos e complementada com as notícias surgidas de várias frentes.
     Até a imediata demissão do então Ministro da Defesa foi exigida - já! - por aqueles dois partidos. É porque não restavam quaisquer dúvidas...

     Para início dos trabalho…
Recent posts

19 H 35

19 H 35


     Em todos os dias há este preciso momento: trinta e cinco minutos depois das dezanove horas.
     Todavia, este é um momento diferente de todos os outros nos restantes dias de sempre, porque acontece na véspera de Natal. A noite em que as famílias se reúnem para a Consoada, numa tradição sempre renovada com alegria e desejos de novas esperanças.
     Num ano ou noutro há quem tenha de se sacrificar em favor do bem comum, porque assim manda o dever, mas nunca nessa noite serão esquecidos: nem os seus familiares, aos quais se sentem ligados, nem os cidadãos anónimos que os chamam ao pensamento.
     Assim se vive o espírito de Natal!

     Depois das quatro horas ininterruptas concentradas no trabalho, que se alheia dos dias e das noites e apenas tem de assegurar a torrente dos gordos proventos, fiz um intervalo para a Ceia de Natal a que me dizem ter direito: o que havia trazido de casa, como de costume, numa pequena marmita.

     Porque para mim era um dia muito especial, arranj…

NOVA PROFISSÃO

NOVA PROFISSÃO

     Na montra da loja de produtos de beleza e higiene (perfumes, sabonetes e alimentos para gatos), a folha branca A4 anuncia, em letra bem desenhada: "Precisa-se de Colaboradora".
Apenas isso: colaboradora! Mulher, portanto. Para mais informações haveria que investigar, eventualmente, no interior da loja.

     Várias opções seriam possíveis, supõe o anúncio:
 - Um lugar junto da gerência, colaborando com ela, e a quem daria o saber e experiência adquiridos.
 - Conselheira - uma colaboração inestimável - sobre as tendências da moda: novas fragrâncias e raças de gatos.
 - Responsável pela gestão dos recursos humanos da loja - colaboração essencial para o elevado padrão de desempenho do pessoal, visando o aumento da produtividade.
 - Colaborando na representação da empresa (várias vezes premiada) em eventos de promoção das marcas de excelência que muito contribuem para o crescimento da economia nacional.
 - Colaborar na área da fiscalidade, para que tudo bata …

ROSAS E CARDOS

ROSAS E CARDOS

     A avaliar pelo sorriso rasgado do Ministro do Trabalho (também da Segurança Social, que agora não importa, e da Solidariedade, nome sem cabimento), o resultado da reunião da Concertação Social foi um sucesso: os trabalhadores, especialmente os milhares de precários, terão liberdade para continuar as suas lutas.
     Isto, do lado do Governo.

     Do lado do patronato, o patrão dos patrões apresentou-se, no final da mesma reunião, com um sorriso ainda mais franco a justificar a vitória da classe mandante, ainda que pouco produtiva - para produzirem existem os trabalhadores, e quanto mais precários tanto melhor...
     Isto, do lado dos patrões.

     A classe operária, o terceiro grande "parceiro" nas negociações, esteve muito mal representada, como quase sempre. E assim, alguns dos seus mandatados não mostraram grandes tristezas ou sinais de pequenas revoltas. 
     Sinal dos tempos... 

     Na sua tamanha sabedoria (e bondade) o senhor Ministro da Solidariedade …

GLENDA JACKSON

GLENDA JACKSON

     Nascida em 1936, Glenda Jackson foi actriz durante 35 anos. Muito inteligente, marcadamente irónica e possuidora de forte carácter, guardamos na nossa memória as suas representações em séries da BBC: "Rainha Elizabeth I" e "Mary, Rainha da Escócia".
     A Academia premiou-a com dois Óscares.
     A Grã-Bretanha atribuiu-lhe a Ordem do Império Britânico (CBE).

     Mulher de causas, feminista, não poderia ser indiferente a uma mais intensa participação na sociedade: em 1992 foi eleita para o Parlamento Britânico (e reeleita em 2001, 2005 e 2010). Foi Ministra dos Transportes.

     Numa altura em que os políticos preferem adoptar a bajulação, deixando de ser verdadeiros e perdendo credibilidade, sobressai em Glenda Jackson uma qualidade enaltecida pela vivência nos palcos: a necessidade de se ser verdadeiro.

     Ficou célebre uma sua intervenção no Parlamento, quando se referiu à política (e à personalidade) seguida por Margareth Tatcher - a Dama de F…

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.