Skip to main content

Posts

Showing posts from June, 2017

A Saúde dos Outros

A SAÚDE DOS OUTROS

1. Depois da intervenção cirúrgica à outra anca, o prestigioso ortopedista, professor catedrático, elaborou o requerido relatório para avaliação do grau de incapacidade, a ser certificado por uma Junta Médica, como manda a lei. Aplicou-se a tabela em vigor: 65% de incapacidade motora.
     Uns anos depois nasceu uma nova versão da lei, neste particular da saúde, com diminuição nos parâmetros, para "maior rigor e transparência". Nova avaliação.
     Reunido o trio da Junta Médica (um clínico era muito novo), debruçaram-se sobre o novo relatório, semelhante ao anterior, e após algumas perguntas de circunstância e alguma cogitação, decidiram o novo grau de incapacidade: 62%!
     A continuar assim, qualquer dia o utente da saúde ficará em estado de novo e dispensa as próteses!

2. A professora tinha cancro há alguns anos, e estava a fazer tratamento. Notava-se claramente, e custava-lhe muito ter que enfrentar os seus alunos. Para além do sofrimento físico, tinha qu…

COUVES E TRAPOS

COUVES E TRAPOS

     Tive que esperar largos minutos até chegar a minha vez para comprar selos.
 À minha frente estava uma mulher do povo, fortalhaças, vestida de preto, e na casa dos cinquenta.
     Era impossível não ver nem ouvir a funcionária dos correios ir contando, e cantando, as notas que ia colocando no balcão: cem, duzentos, trezentos, quatrocentos, quinhentos...
     Fiz um esforço para não ouvir mais.

     Olhei à volta e calculei, pelo que vi, que devia ser dia de pagamento de pensões.

     Curiosamente, àquela mesma hora discutia-se no Parlamento - no nosso Parlamento - a questão ignominiosa dos contratos de trabalho precários e correspondentes vencimentos miseráveis, que atingem milhares de pessoas, muitas delas com formação superior; e, como se verifica, há deputados, alinhados com certo tipo de patronato, que ainda gastam o seu tempo a discutir este problema, que nos envergonha.

     Fiquei a matutar naquela cena passada nos correios. Aquela cara não me era estranha! Creio j…

ILHA RAINHA

ILHA RAINHA

     No vasto Oceano Pacífico, a Sul, o gigante dos mares saltita de ilha em ilha - miríades de ilhas - como se caminhasse sobre as águas.
     Antigamente era assim, pensa-se.

     Muitas dessas ilhas são desabitadas, umas com vegetação luxuriante, outras nem tanto. Umas com praias de areias douradas, outras com água límpida em recantos entre rochedos.
     Antigamente era assim, sabe-se.

     Uma dessas ilhas, a ilha Henderson, foi a escolhida pelo bicho-homem para se tornar no maior montão de lixos plásticos à face da terra. Calcula-se que ela contenha 38 milhões de artigos plásticos, que a sufocam.
     A ilha é lixo!

     Ninguém foi à ilha Henderson depositar o seu lixo. Ele saiu de paragens longínquas - das nossas praias, por exemplo - e foi navegando por mares e oceanos, depressa ou lentamente, porque tem para si todo o tempo do mundo.

     Existem no Pacífico muitas ilhas (demasiadas ilhas) de lixo, mas a ilha Henderson será, por enquanto, rainha - para vergonha nossa!