Skip to main content


      O  ÚLTIMO  DOS  AFICIONADOS

     Terminei a leitura de um livro interessantíssimo (1) que aborda questões que nos podem levar a investigar um campo novo e extraordinário da Psicologia.
     São várias as histórias que nos são contadas. Numa delas, a propósito da Guerra Civil Americana, é recordada uma célebre recomendação do Presidente Lincoln dirigida a um dos seus mais brilhantes generais: "cuidado com a imprudência". O general, mais tarde, reconheceu a verdade do aviso: perdeu a batalha porque, num momento crucial da campanha sentiu-se moralmente assustado (e não fisicamente assustado).
     É neste contexto que é igualmente referido Hemingway - que muitos consideram que fora um apaixonado pelas touradas -, contando-se o episódio passado com Gallo que, segundo o escritor, "foi o inventor da recusa em matar o touro se o animal o olhasse de determinada maneira".

Gallo terá tido uma carreira longa, com exibições inesquecíveis, e na primeira delas, depois de lutar corajosamente contra o animal, quando chegou o momento da morte voltou-se, de espada em punho, e aproximou-se do touro, que estava parado, de cabeça baixa, a olhá-lo. O toureiro - ou matador - voltou para a trincheira. "Trata dele, Paco", disse a outro matador; "não gosto da forma como ele me olha".

     Tal como o general, também o matador Gallo se sentiu moralmente assustado.

     Se muitos aficionados tivessem, uma vez só que fosse, de olhar bem nos olhos o touro indefeso, mudariam as suas mentalidades para nunca se sentirem...moralmente assustados!

(1) "Blink!", de Malcolm Gladwell

Comments

Gostei, Comandante.
É exactamente isso.
Bastava olharem, olhos nos olhos.

Era devido ao olhar de quem ia morrer, que os carrascos medievais, enfiavam uma carapuça na cabeça dos condenados.

Dizem que esse olhar é terrível!

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…