Skip to main content


                                 POLÍTICOS  DEVOTOS

     Mais do que a fé nos santos, a fazer de conta, é a confiança nos habituais penitentes, os eleitores: mal informados, ignorantes, fanáticos. A receita costuma resultar, e pode valer o sacrifício da falsa religiosidade quatrienal. A postura seráfica, em lugar destacado, pode fazer crer um aval.

     A reza política só pode ser de intensa convicção: dura até às próximas eleições! Os oragos visitados, no dia da sua festa, são esquecidos logo de seguida. Fossem os santos vingativos, e os políticos falsamente devotos seriam castigados, para se emendarem. O ridículo, como penitência, será bastante.
     Em vez de preces para obterem graças, os profissionais políticos autárquicos praticam a caça pouco disfarçada aos votos. Mais do que podem fazer os santos, prometem milagres os políticos caçadores de votos.

     Políticos devotos, à falsa fé!

     A peregrinação vai de terra em terra, a cumprir o calendário das festas e romarias, sem grandes alterações de cenário.
     Pelo multi-repetente candidato, em lugar visível e pose forçada a significar seriedade, passam os fieis servidores, nesses dias engravatados e barbeados, a darem-se ares. Cumprimentos a todos e abraços a alguns, enquanto os assessores de maroscas dão dicas e assentam breves notas.

     - leva agora um saco de cimento, depois irá outro.

     - este não leva um cheque, leva dois.

     - era o que faltava, pagar licença, homessa!

     - fica prometido: a freguesia também vai ter um bar.

     A banda filarmónica ataca mais uma peça. É festa!

Comments

E as dádivas? O que dizer das dádivas?

Se andam a perseguir o Luizinho Menezes com a história do pagamento de rendas para angariar votos...

Os daqui... fazem coisas piores e ninguém os persegue.

Por que será?
Jose Leite said…
Enfim, o milagre da multiplicação dos votos. Dar prebendas, prometer, prometer... sem saber onde os recursos obter...

Depois se verá! Prometer não custa, se não forem cumpridas as promessas arranja-se sempre um bode expiatório: a crise, a troika, talvez até o mau tempo!!!

O xicoespertismo teve o seu clímax com aquele ex-padre que dizia (de saída do CDS para se bandear para o PSD...): «QUEM MUDA DEUS AJUDA!!!»

Até os anjos no céu se riram a bandeiras despregadas!!!

Talvez Deus, o bom Deus, na sua infinita misericórdia, tenha dito lá para os seus botões:
«Benditos os pobres de espírito... será sempre deles o reino dos céus!!!»
José Leite Sá,
Os sem-vergonha encartados podem prometer tudo, porque sabem com que tipo de pessoas contam - tornadas culpadas.
Há três "manuais de boas práticas" que deveriam ser de uso obrigatório por todos os partidos políticos e eleitores em geral, além de "compêndios" seguidos nas "universidades de verão".
- Nuvem de Fumo (JJ Silva Garcia)
- Cristiano, Paixão irresistível (José Leite de Sá)
- Madrugada Suja (Miguel de Sousa Tavares).
Muita coisa mudaria...embora apenas numa área de bem "servir o povo".

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…