Skip to main content

Posts

Showing posts from August, 2013
 POLÍTICOS  DEVOTOS

     Mais do que a fé nos santos, a fazer de conta, é a confiança nos habituais penitentes, os eleitores: mal informados, ignorantes, fanáticos. A receita costuma resultar, e pode valer o sacrifício da falsa religiosidade quatrienal. A postura seráfica, em lugar destacado, pode fazer crer um aval.

     A reza política só pode ser de intensa convicção: dura até às próximas eleições! Os oragos visitados, no dia da sua festa, são esquecidos logo de seguida. Fossem os santos vingativos, e os políticos falsamente devotos seriam castigados, para se emendarem. O ridículo, como penitência, será bastante.
     Em vez de preces para obterem graças, os profissionais políticos autárquicos praticam a caça pouco disfarçada aos votos. Mais do que podem fazer os santos, prometem milagres os políticos caçadores de votos.

     Políticos devotos, à falsa fé!

     A peregrinação vai de terra em terra, a cumprir o calendário das festas e romarias, sem grandes alterações de cenário.
     Pelo…
O  ÚLTIMO  DOS  AFICIONADOS

     Terminei a leitura de um livro interessantíssimo (1) que aborda questões que nos podem levar a investigar um campo novo e extraordinário da Psicologia.
     São várias as histórias que nos são contadas. Numa delas, a propósito da Guerra Civil Americana, é recordada uma célebre recomendação do Presidente Lincoln dirigida a um dos seus mais brilhantes generais: "cuidado com a imprudência". O general, mais tarde, reconheceu a verdade do aviso: perdeu a batalha porque, num momento crucial da campanha sentiu-se moralmente assustado (e não fisicamente assustado).
     É neste contexto que é igualmente referido Hemingway - que muitos consideram que fora um apaixonado pelas touradas -, contando-se o episódio passado com Gallo que, segundo o escritor, "foi o inventor da recusa em matar o touro se o animal o olhasse de determinada maneira".

Gallo terá tido uma carreira longa, com exibições inesquecíveis, e na primeira delas, depois de lutar coraj…
A  CULTURA  AUSENTE

     Já faz parte dos roteiros literários: a Póvoa de Varzim, com as suas "Correntes d'Escritas", é uma referência nacional. Se a organização não é (ainda) perfeita, e os objectivos não têm sido amplamente conseguidos, paciência! Tudo vai melhorar, acredito.
     Nas várias edições - já se contam por dois dígitos! - das "Correntes", participaram nos eventos centenas de escritores de "expressão ibérica". É obra!

     Sem entrar em detalhes, realço os factos de muitos escritores se darem a conhecer, e com eles se poder trocar impressões, literárias ou de simples vivência, e, de não somenos importância, homenagear-se um ou outro (não interessando a nacionalidade), seja por um percurso literário ou cultural, seja por uma sua intervenção cívica notória.
Por tudo isso, o meu aplauso.

     Na semana passada faleceu Urbano Tavares Rodrigues. Perdeu-se - afirmo-o eu - um grande escritor português. E, pela escrita e para além da escrita, um grand…
SERVOS  DA  GLEBA


     Esta é a época das sementeiras intensivas, de reprodução rápida: bastam dois ou três meses para conseguirem os seus frutos.
O terreno pode ser árido e as ervas daninhas, mas os resultados são os mesmos de sempre: deploráveis!
     Refiro-me às eleições autárquicas e às empenhadíssimas pré-campanhas: os políticos recandidatos saem das luras ou dos refúgios, e descobrem, finalmente, a sua e nossa cidade: aproximam-se do "amado povo" e desmesuram-se com beijinhos, abraços, palmadinhas nas costas e piscadelas de olhos.
     Nada de novo: são sempre assim os "democratas" quadriénios"!

     Simpáticos, sorridentes, transfigurados de gente séria, empenhada e isenta de pecado político, apresentam a quem (ainda) os vê o lado melhor do seu currículo, se é que há algum...
     Renascidos, antes do tempo, são por muitos tomados como empreendedores, amigos das pessoas, homens de contas e de mãos limpas.
     Quem diria!

     Os espectadores da farsa, num rep…