Skip to main content

Posts

Showing posts from October, 2011
REUNIÃO DE CAFÉ Hoje há reunião do Conselho de Estado, presidida por Sua Excelência o Senhor Presidente da República. Será uma espécie de assembleia magna do PSD, com outros elementos que pouco ou nada contam. Antes do início dos trabalhos (?!) deverá ser guardado um minuto de silêncio em sinal de tristeza pela ausência do ex-Conselheiro Dias Loureiro, amigo do peito do Senhor Presidente, o qual se encontra a trabalhar (sempre a trabalhar...) em Cabo Verde e talvez noutras paragens. Ao lanche serão servidas bolachas Maria. Da reunião não se espera nada. Uma tarde perdida.
SINAIS: VIVA A CORRUPÇÃO! "Tenho a honra de informar V.Exª que o assunto apresentado mereceu desta Inspecção-Geral a melhor atenção, e, considerando a sua relevância, serão efectuadas com brevidade as necessárias investigações". Sinais positivos! Os organismos deste género foram criados para zelarem pelo interesse do bem comum, denunciando os abusos, os desvios, a má gestão dos dinheiros públicos, etc., que as leis a seu tempo julgariam. Depois da mais que longa espera, e encharcados até à medula pela "lama política", chegou uma carta: "Relativamente ao assunto em referência, tenho a honra de informar V.Exª que a escassez de recursos com que se debate esta Inspecção-Geral não tem permitido efectuar as investigações anunciadas". Sinais negativos! Soube-se agora que um dos tais organismos, a IGAL - Inspecção-Geral da Administração Local - fechou as portas, não fosse dar-se o caso de uma qualquer autarquia vir a ser incomodada. Exti…
UM CONTO CURTO Este conto é pequenino. É um contito. Temos que aprender a ser poupados, até nas palavras. António era casado com a Ana. Eram o Tone e a Tonha, assim se tratavam eles, carinhosamente. Conheceram-se ainda nos bancos da escola. Eram catraios. São gente simples, do povo: nasceram no meio do povo, viveram com o povo e trabalharam para o povo. Agora, cada um vive da sua reformazita. À hora da ceia, de pantufas e roupão, diz o Tone, meditabundo: - Tonha, lembras-te daquela vez que fomos aos Açores, no passeio dos idosos, e vimos aquelas vaquinhas simpáticas que sorriam para mim? - Então não me havia de lembrar, Tone. E tu até parecia que falavas com elas. Estavas mesmo feliz e contente da vida. - Por falar de animais, Tonha, é pena termos poucos pássaros na gaiola. - Lá isso é! Podíamos era comprar uma vaca, comia a erva do jardim e tu andavas entretido, tone. - É um bom conselho, Tonha.