Skip to main content

Posts

Showing posts from November, 2010
AS CORES DOS NOSSOS DIAS

As imagens mostram-nos um idoso, mirrado de fome e de solidão, a trincar uma côdea de broa ressequida. Adivinha-se o frio que lhe cobre o corpo vestido de roupa velha e lhe envolve a alma desesperançada.
Outras imagens revelam um casal de idosos à volta da lareira que os aquece e aquece o pote da sopa.
A voz off alerta para os perigos do uso de lareiras!

Estas imagens - iria jurar que eram as mesmas! - já as vi quando os portugueses eram muito pobres e a televisão era ainda a preto e branco.

Os voluntários da campanha do Banco Alimentar afadigam-se na recolha dos alimentos, que atingem quantidades nunca dantes conseguidas. Muitos deles são também pobres, e cumprem aquela missão com alegria porque sentem que estão a ajudar os seus semelhantes, muito mais pobres, e com fome.

Estas são as cores negras das nossas vidas. As cores dos dias de hoje!
NÃO LERAM OS LIVROS?

"O Estado, como sociedade política organizada, existe para servir e valorizar a pessoa humana e não para se servir a ele próprio".

(in "Ciência Política e Direito Constitucional", de Ricardo Leite Pinto, José de Matos Correia e Fernando Roboredo Seara).

Parece que não leram os manuais, os da Política e os dos Bons Princípios. Leram, mas fingem que não leram, e dizem que não precisam de os ler.

Assumindo o estatuto de ignorância arrogante, esquecem e espezinham a pessoa humana, com a indesculpável "justificação" que por trás desse comportamento há uma qualquer "razão de Estado"!

Num Estado de Direito Democrático é acção intolerável, e daí haver lugar a um determinado julgamento.
CEGOS, SURDOS E MORTOS

Há já muitos anos que se começou a pagar a "licença do rádio", na linguagem popular, que se referia à taxa de radiofusão sonora: pagava uma taxa quem tivesse um rádio. Nem que fosse a pilhas! A "contribuição" era para a Emissora Nacional, do Estado.

Generalizou-se depois, para que não escapasse ninguém, mesmo os que só possuíam um "transistor": a taxa passou a ser indexada à factura da luz eléctrica! Reclamaram então os surdos, porque embora tendo luz eléctrica e tendo luz (viam), não podiam ouvir música nem a propaganda política.

Tolerância zero para isenções!

Quando surgiu a televisão (durante muitos anos a preto e branco), também do Estado, passou a RTP a receber a sua taxa. Era a "taxa da televisão".
Simplificando: para ver e ouvir o que nos era oferecido (serviço público), nasceu a "Taxa do Audiovisual"

Novamente, tolerância zero para isenções!

Não se livrou dos abutres das …
46 MILHÕES

Por descontrolo e falta de projectos, na área da agricultura, Bruxelas obriga Portugal a devolver 46 milhões de euros!
Vai custar(nos) muito devolver tão grossa maquia, e que tanta falta nos faz. Vão ser mais 46 milhões a juntar à conta gigante que os portugueses já começaram a pagar, e não sabem até quando.

Quem será a primeira pessoa a prestar contas perante o chefe do governo?

Quem será a primeira pessoa a prestar contas perante o país?

Estas contas têm que ser prestadas! Estas e outras!

Se houve falta de projectos - a nossa agricultura tem projectos?! - é porque a incompetência fez lei.
Se houve descontrolo é porque reinou muita incompetência ou algo mais.

Só uma decisão se impunha: demitir imediatamente o Ministro da Agricultura, depois de se lhe exigir a pública prestação de contas.