Skip to main content
SALPICOS (10)

1. O Cineclube de Guimarães tem já 52 anos de existência e conta com 1100 associados. É o maior cineclube nacional!
Programa 7 filmes por mês e tem em média 200 espectadores.
Não consta que a Câmara Municipal de Guimarães precise de gastar dinheiro dos contribuintes para manter (bem) o cineclube da sua cidade.
Nós, por cá, é o que sabemos...e o que temos!

(Fonte: "Público" de 17.01.2010)

2. Foi notícia a meia tonelada de polvos que deu à costa em frente a VN Gaia.
Também a revista TIME elegeu-a como uma das 10 questões mais relevantes da semana, e por ser um caso inédito, quase misterioso, para o qual os cientistas não encontram explicação.
Pudera!
Além de não conhecerem a zona, ignoram que os pescadores têm dificuldades em pescá-los (redes de malha larga...), e mesmo a Judite nem os snifa.

Comments

Rui said…
Quem lhe disse a si que a Câmara Municipal de Guimarães não investe (subsidia está mais na moda) o Cineclube da cidade? Fala do que não sabe e nem procura informar-se antes do bota-abaixo.
O Cineclube de Guimarães utiliza a sala do Centro Cultural Vila Flor. Não sei se pagam, pergunte-lhes, mas posso dizer-lhe que o CCVF não é privado…
Para ser sócio do cineclube é necessário pagar uma quota mensal de 3,50€. A entrada nas sessões é GRATUITA. Convenhamos que não é difícil angariar sócios e ter sessões com 200 pessoas.
Sete filmes por 3,50€ dá o valor fabuloso de 0,50€ por filme. Tem a certeza que o Cineclube de Guimarães vive exclusivamente destas receitas? Sabe quanto custa alugar um filme? Pois, os números enganam…quero com isto ressalvar a vitalidade do Cineclube de Guimarães que não pretendo beliscar, mas reforçar que ao contrário do que você insinua o caminho deste cineclube é feito com o apoio da autarquia numa parceria para alargar os horizontes cinematográficos, seja lá o que isso for…
Além do mais, Guimarães tem salas de cinema comercial, coisa que a Póvoa não tem.

Rui Capela
Póvoa de Varzim
Para Rui,
Eu não insinuo coisa alguma, dei apenas a notícia, cuja fonte indiquei.
Mas parece que VOCÊ ficou melindrado com as ideias que esta notícia nos trouxe.
Rui said…
Se não é insinuação o que diz depois da citação!
Estou habituado e cansado de ouvir este tipo de ataques ao Cineclube. Não tenho interesse particular directo no cineclube, mas é notória a má-vontade... Devem ser resquícios do período vermelho que sempre o perseguiram...sei lá!
Os Cineclubes já não existem nos moldes em que foram criados e pensados…
Não vou discutir na caixa de comentários esta questão...


Rui Capela
Póvoa de Varzim

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…