Skip to main content
DESCUBRA AS DIFERENÇAS

Não é propriamente o passatempo que jornais e revistas costumam publicar e que consiste em descobrir umas quantas diferenças entre dois desenhos semelhantes.
Aqui, a questão que se propõe é encontrar diferenças e semelhanças entre duas situações, ambas na área da alta finança e da burla qualificada.
Temos os "bonecos".

Num quadro figura Bernard Madoff; no outro, o figurão é Dias Loureiro, Dr.

O americano apareceu mais recentemente; já se confessou culpado perante o juíz,
e vai ser julgado dentro de muito pouco tempo. Arrisca-se a ser condenado a 150 anos de cadeia, se não estou em erro.
Investigação rápida e decisão pronta!

O português "explicou-se" na televisão, já se contradisse na AR, tem a confiança do PR, e é (continua) Conselheiro de Estado!

De um lado, a refinadíssima falcatrua, de smoking.
Do outro, a corrupção em rede, em lamaçal de barões.

Comments

IN VERITAS said…
Comandante...Não confio em nenhum banqueiro...
Meu pai como muitos outros honestos cidadãos que depositaram quantias em bancos no exterior, viram goradas as suas poupanças...no caso foi em Angola...uns tempos(cerca de um ano?) depois da independência a banca foi toda nacionalizada...( aqui em Portugal também o foi)Há uns tempos face á reclamação efectuada junto do Instituto para a Cooperação Económica , no âmbito do nosso Ministério dos Negócios Estrangeiros, foi-nos informado que o Estado Angolano não houvera ainda desnacionalizado ou descongelado essas contas,a té hoje...Note que essas contas foram congeladas com base na necessidade de Angola-Mpla necessitar do capital para o esforço deguerra...etc.. etc...
neste caso O banqueiro é o próprio estado ou alguém a seu mando...

onde pára essa massa toda?Note que entretanto angola mudou a moeda para Kwanza e subordinou-a á cotação do rublo da união soviética...estando hoje o kwanza ligado directamente ao dolar... ?

E mais...No tempo do Ultramar ( e não falemos do caso alves dos reis..que até parece panaceia..)A moeda que circulava na Guiné angola e moçambique eram cédulas e moeda metálica sob o controle indirecto do banco de portugal , onde supostamente existiriam as reserva de ouro, que lhe serviriam de suporte...Com a descolonização, e a passagem da moeda par as ex-colónias -que assumiram as suas independ~encas.. para onde foram essas reservas de ouro? foram devolvidas ás colónias?Se não... onde estão hoje?
Decidida a independência das antigas colónias - que não está em causa -,não foi claro o processo de transferência de soberania, a que, no conjunto, se chamou descolonização. Neste processo, e particularmente em Angola, cometeram-se muitos erros, os quais teriam que ser corrigidos, mesmo com indesejável atraso.
O importantíssimo aspecto focado por IN VERITAS tem saído da esfera do conhecimento geral, e por isso pouco discutido; atrever-me-ia até a avançar a ideia de que nunca foi considerado com verdadeira consciência nacional, o que deixa uma ferida aberta e incurável naqueles que sofreram tais vicissitudes, e também nos portugueses em geral que, involuntariamente, pactuam com uma situação a todos os títulos inaceitável.
«Em rede», diz bem!

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…