Skip to main content
NOVAS ENCRUZILHADAS

Porra!

Liguem os semáforos!

Os semáforos, cretinos!

Semáforos!

Comments

hi! hi!

não resultam...
Tony Vieira said…
Olha o CD. Figueiredo deu um peido de sua graça hoje, quer que liguem os semáforos, e porque não uma ambulância do INEM enfeitada com luzinhas de natal no cruzamento da avenida?
Ou um viaduto com pinheiros cheios de fitas reluzentes e uma estrelinha no cimo?
Imagino o Garcia vestido de Pai Natal com uma faca de Carnaval espetada nas costas um apito na boca a controlar o estacionamento no parque subterrâneo enquanto o Monte procura onde param os contadores de água e de luz.
Às vezes tenho pena que não mandem o nosso blogue para o quem quer alho como já fizeram duas vezes ao outro, isto é mesmo uma terra de…
Para continuar a ler aqui: http://tony-vieira.blogspot.com/2008/11/verdade-da-mentira.html
Dimas Maio said…
Caro Comandante.
Já vi que tropeçou num cruzamento, da Avenida ou da Praça do Almada . Isso mesmo já me tem bem arreliado.

Só que, porra é um calão alentejano.
O correspondente poveiro e com a mesma inocência, é caralho

Caralho, Nia, aquele caralho daquele cruzamento é mesmo um caralho duma ratoeira. Um home chega ali no nosso carro, muito devagarzinho e vem um caralho dum gajo com um caralho dum carro com uma velocidade do caralho mete-nos um susto do caralho. Estás a ver Nia ? E tudo porque o Caralho da nossa Cambra não põe as luzes de sinais de trânsito, como deve ser, caralho.

Ora digam-me que não é assim ?!

Mas, acalme-se caro Comandante.
Pense: Porra ou Caralho é pau. Pau que pode ser da oliveira.Oliveia é o símbolo da Paz. Por isso, paz, paz, muita paz meu amigo !
A câmara mostra que é «liberal». Ela não quer «proteccionismos», dá liberdade total aos condutores e exige-lhes responsabilidade.

Só que esta história da «liberdade» deu no que deu no que diz respeito aos mercados financeiros. Há um mínimo de «proteccionismo» que importa salvaguardar.E de supervisão!

Na Póvoa pode haver défice democrático, mas nunca défice de sinistralidade!... As seguradoras queixam-se... mas as oficinas rejubilam!...

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…