Skip to main content
JO : A PÓVOA AFASTADA!

Ainda decorrem os Jogos Olímpicos de Pequim e, face à fraca prestação da representação portuguesa, ouviram-se já algumas declarações do presidente do COI Português, que não será candidato a novo mandato à frente da organização.
De salientar o que referiu ser uma das (muitas) causas do nosso quase generalizado insucesso nestas provas: existe uma falta de cultura do Desporto e nenhuma política que seja adequada.
Já o dissera em tempos e hoje repetiu: continua a sentir-se a necessidade das Escolas de Desporto.

É neste ponto que acho que a Póvoa está (e estará) divorciada dos JO e do Desporto de Alta Competição em geral, porque a actual política (?) local não conduz a quaisquer resultados visíveis, por mais dinheiro que se gaste (diferente de investir) e por mais propaganda que se faça.

Há cerca de 6 anos , o então vereador do Partido Socialista, Engº José Cerejeira, apresentou em reunião de Câmara uma bem elaborada proposta para a criação das Escolas Municipais de Desporto, com um programa detalhado de organização.
A maioria PSD, como de costume "sensível" às propostas com grandes objecticos, REPROVOU aquela proposta.
Gorou-se assim, de forma leviana (porque nem sequer discutida) a possibilidade da criação do verdadeiro Espírito do Desporto.

Há 6 anos que a Póvoa poderia estar na linha da frente na criação das Escolas Municipais de Desporto!

Comments

;-)
Juro que não ando a plagiar o seu blogue...
São sintonias.
Abraço
Muito bem posto o «dedo na ferida»!
Escolas de desporto não para criar medalhados mas para fomentar uma prática saudável.
Em reforço do que Mário de Sá Peliteiro escreveu no "Impressões do Boticário", e corroborando a opinião do "rouxinol de bernardim", transcrevo, para quem não teve a oportunidade de ler, a última parte do Editorial do PÚBLICO de hoje: "(...)A começar no desporto escolar, onde se podem iniciar futuros campeões, e a acabar nos treinos regulares e no espírito desportivo que os conduz.E, sobretudo, é preciso saber ir até ao fim mesmo que não haja medalha nenhuma. Hoje e no futuro".
Nunca tive dúvidas, mas agora reafirmo a necessidade e as vantagens da criação das Escolas Municipais de Desporto.
Será desta?

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…