Skip to main content
OBVIAMENTE !

A apresentação da biografia do Gen. Humberto Delgado, na Biblioteca da Póvoa de Varzim, em 16 do corrente, serviu para se reviverem os acontecimentos de então, na nossa cidade.
E tão empolgantes e genuínas foram as manifestações, que levaram o General a prometer que a sua primeira visita, se fosse eleito, seria à Póvoa de Varzim!

Ouviram-se testemunhos de alguns poveiros e muitas referências, apropriadas, do autor da obra, neto do General. O apresentador, José Carlos de Vasconcelos, recordou-nos a censura de então, a falta de liberdade de expressão, a repressão à oposição, a farsa dos julgamentos políticos, e o entusiasmo de um Povo que mostrou querer a liberdade. Segundo ele, nascera aí o 25 de Abril, semente que o Povo lançou há 50 anos!

Se a quase totalidade dos presentes voltou a vibrar com a recordação e o significado daqueles acontecimentos, já o presidente da Câmara e alguns vereadores da maioria, presentes na sessão, devem ter-se sentido pouco à vontade. E apenas porque se devem ter lembrado que faz falta que o mesmo estado de alma, que então se viveu, regresse à Póvoa!

Comments

Pena é que os que ainda vibram com as promessas de Liberdade não se mobilizem contra a democraciazinha fingida que se vive nesta terra.

Mas, só com hipocrisia e cinismo terá sido possivel q Vieira e as seus sequazes participar nessa sessão.
Depois de tantos maus tratos ao regime, ainda há pouco deram mais um exemplo de como desprezam os valores democráticos da verdade, transparência, do respeito pela opinião dos outros,enfim, da Liberdade?
Como é possível que, ao fim de mais de meia centena de reuniões de câmara e de outras tantas Actas, em que sempre se registou integralmente no seu corpo principal o conteúdo das dclarações proferidas por qualquer membro do Executivo, não fizessem o mesmo à minha Declaração de 17 de Março, indispensável à compreensão dos motivos que me fizeram requer a renúncia ao mandato par que fora eleito democraticamente?
Censuraram a minha declaração, escondem-na nos anexos difíceis de aceder, para que os cidadãos não vejam o que eu disse e que lhes é muito incómodo!
Depois acham que é má educação dizer que "não pecisam de camisas castanhas e de suásticas ao peito, porque as têm na alma"!
Não é má educação! É um grito de revolta que aqueles que vibram com Delgado também deviam fazer em vez de se deslumbrarem apenas com recordações...boas é certo, mas que exigem todos os dias que se ajude a construir a LIBERDADE!

J.J.Silva Garcia
Garcia e Comandante: Delgado foi morto pela Pide, segundo resa a história e os factos...Mas delgado era um Homem do Antigo Regime... como o eram Henrique Galvão e muitos outros..Homens da confiança desse regime que se rebelaram não contra o regime ("fascista" - ou melhor dizendo integralista ) onde uma certa classe dominante detinha o poder, mas que salazar avaramente concentrou-o em si...não sendo sequer um guia ou fuhrer...Por isso vejo tantos saudosistas reverem-se nos ideais de Delgado...O presidente da republica que nunca o foi... e que jurou a constituição de 1933... Muito mais revolucionário do que Humberto foi NORTON DE MATOS.. que muitos querem fazer esquecer na história do mesmo modo que querem esquecer António de Spinola...

Popular posts from this blog

A Saúde dos Outros

A SAÚDE DOS OUTROS

1. Depois da intervenção cirúrgica à outra anca, o prestigioso ortopedista, professor catedrático, elaborou o requerido relatório para avaliação do grau de incapacidade, a ser certificado por uma Junta Médica, como manda a lei. Aplicou-se a tabela em vigor: 65% de incapacidade motora.
     Uns anos depois nasceu uma nova versão da lei, neste particular da saúde, com diminuição nos parâmetros, para "maior rigor e transparência". Nova avaliação.
     Reunido o trio da Junta Médica (um clínico era muito novo), debruçaram-se sobre o novo relatório, semelhante ao anterior, e após algumas perguntas de circunstância e alguma cogitação, decidiram o novo grau de incapacidade: 62%!
     A continuar assim, qualquer dia o utente da saúde ficará em estado de novo e dispensa as próteses!

2. A professora tinha cancro há alguns anos, e estava a fazer tratamento. Notava-se claramente, e custava-lhe muito ter que enfrentar os seus alunos. Para além do sofrimento físico, tinha qu…
PALAVRAS E SENTIMENTOS

     Filho de um agricultor com uma plantação de amendoins, o pequeno Jimmy cresceu num são ambiente familiar, marcadamente religioso, e pobre: a casa onde cresceu não tinha água corrente nem electricidade. Na Geórgia, nos Estados Unidos da América.
     A escola abriu-lhe os horizontes que haveriam de o levar a conseguir a concretização do seu desejo maior: ser um Homem!
     E conseguiu.

     Sempre bom aluno, na universidade seguiu engenharia. Admitido à Academia Naval dos Estados Unidos, terminou o curso entre os dez primeiros, numa longa lista.
     Serviu nos submarinos. Mais tarde, entrou na área da advocacia.

     Não sendo homem de grandes falas, usava-as com o sentido preciso do juízo e do apreço, com genuíno sentimento, mas nem sempre bem compreendido.

     Cumprido o seu dever como militar e tendo dado todo o seu saber ao seu país, deixou a Marinha no posto de capitão-de-mar-e-guerra.

     Falamos de Jimmy Carter.

     Governador do Estado da Geórgia, candid…

COUVES E TRAPOS

COUVES E TRAPOS

     Tive que esperar largos minutos até chegar a minha vez para comprar selos.
 À minha frente estava uma mulher do povo, fortalhaças, vestida de preto, e na casa dos cinquenta.
     Era impossível não ver nem ouvir a funcionária dos correios ir contando, e cantando, as notas que ia colocando no balcão: cem, duzentos, trezentos, quatrocentos, quinhentos...
     Fiz um esforço para não ouvir mais.

     Olhei à volta e calculei, pelo que vi, que devia ser dia de pagamento de pensões.

     Curiosamente, àquela mesma hora discutia-se no Parlamento - no nosso Parlamento - a questão ignominiosa dos contratos de trabalho precários e correspondentes vencimentos miseráveis, que atingem milhares de pessoas, muitas delas com formação superior; e, como se verifica, há deputados, alinhados com certo tipo de patronato, que ainda gastam o seu tempo a discutir este problema, que nos envergonha.

     Fiquei a matutar naquela cena passada nos correios. Aquela cara não me era estranha! Creio j…