Skip to main content
MORDOMOS

Está de volta, e com mais procura e maior exigência de qualidade, a profissão de mordomo, outrora uma quase instituição inglesa.
Como há cada vez mais ricos, e muito ricos, espalhados por esse mundo, o mordomo de qualificações elevadas passou a ser um acrescento aos quase obscenos sinais exteriores de riqueza daqueles que não sabem o que fazer ao dinheiro.

O currículo que é pedido aos mordomos é exigente, para o desempenho eficaz de tantas "canseiras" dos patrões; os salários e regalias sociais (que incluem planos de reforma) acompanham os padrões.
Ricas vidas! Dos mordomos e dos ricos patrões.

Isto acontece, agora, neste planeta Terra, um pouco por todo o lado.

Nós também temos muitos ricos, alguns riquíssimos.
Se a profissão de mordomo estivesse mais vulgarizada entre nós, oportunidades não faltariam para os milhares de licenciados no desemprego (são pessoas com qualificações).

Também por cá: pobres, somos dois milhões!

Comments

Todos falam nos mordomos e esquecem as esposas deles...

Vi ontem a saír da câmara, a D. Mordomia. Trazia um casaco de peles todo imaculado, ao pescoço uma gargantilha doirada faiscando ao sol, a malinha de mão era de alta qualidade, veio de Paris certamente...

Nos dedos, alguns anéis fulguravam,
opíparos, envergonhando a D. Crise, que, com o carrinho do lixo numa mão e a vassoura na outra, ia contemplando a cena, cabisbaixa e envergonhada...

Julgo que tive um pequeno colapso e desmaiei com a brutalidade deste confronto.
Quando acordei vi um sol forte e pareceu-me ouvir dizer:

__Não, não nasço para todos. Mas espero que mais tarde ou mais cedo surja tal dia... É que as pessoas ainda não abriram os olhos. A culpa não é do sol, mas dos que o tapam com a peneira da corrupção.
CÁ FICO said…
Peneiras,tem todos os politicos em especial os eleitos locais... E o Comandante do Sextante não foge à regra embora a peneira dele esteja na brilhantina que usa para o cabelo (se calhar é Gel...)
tudo tem a ver com aquela coisa Freudiana e da psique socio politica que se chama psicopatia lábil...eh!eh!
Mas o chefe cá do burgo é caso incurável já !!! Eo grande culpado foi quem lhe ensinou a discursar...

ih! Ih!

a todos os eleitos locais, aos não eleitos, aos aspirantes atal e atodos o demais do burgo aquivão as minhas boas festas...tenham todo festas felizesn !!!
CÁ FICO said…
A nova lei das autarquias cozinhada entre a maioria PS e PSD, ainda é pouco limitadora no que consta ao direito de voto do Presidente da Cãmara e dos Presidentes de Junta em causa própria...

Primeiro detudo não sejustifica que um presidente dejunta tenha sequer assento nas assembleias municipais por inerência pois em democracia directa e de sufrágio universal nem sequer foi eleito...quando muito admito que podesse cada freguesia estar representada na assembleia municipal, mas pelo Presidente da respectiva assembleia de freguesia e nunca por um elemento do executivo...é um anacronismo a situação actual...Ora onde já se viu o Governo ter direioto de voto na assembleia da republica se me permites a má comparação?...

esta eoutra situação de hibridez dos poderes deliberativos (assembleias de freguesia e municipais)com ospoderes executivos (camaras municipais e juntas de freguesia)tem de acabar de uma vez por todas sob pena de fomentarmos o compadrio,conluio, conveni~encia e o desrespeito pela vontade popular expressa nas mesas de voto... O Povo não votou em nenhum presidente de Junta para ocupar lugares nas Assembelias Municipais, e alei existente que o permite é uma lei injusta e anacrónica...
CÁ FICO said…
Mário de Sá Peliteiro, às 23:51
Comentários:


como é interessante...
Alguns poveiros eleitos autarcas são pior que os despotas africanos no que toca a "mordomias e nove horas"...
Como diz o povo etem razão: presunção e agua benta cada qualtoma a que quer...
mas é fundamental que percebam que estão na Politica PARA SERVIR O POVO E NÃO PARA SERVIR-SE DELE...
E há muitas maneiras de um autarca se servir do povo ...uuma delas é acumulando funções e não delegar poderes em especial naqueles autarcas que proporcionalmente também foram eleitos pelo povo...Desrespeitar avontade popular é servir-se do povo

# por CÁ FICO : Quarta-feira, Dezembro 19, 2007

Popular posts from this blog

NOVA PROFISSÃO

NOVA PROFISSÃO

     Na montra da loja de produtos de beleza e higiene (perfumes, sabonetes e alimentos para gatos), a folha branca A4 anuncia, em letra bem desenhada: "Precisa-se de Colaboradora".
Apenas isso: colaboradora! Mulher, portanto. Para mais informações haveria que investigar, eventualmente, no interior da loja.

     Várias opções seriam possíveis, supõe o anúncio:
 - Um lugar junto da gerência, colaborando com ela, e a quem daria o saber e experiência adquiridos.
 - Conselheira - uma colaboração inestimável - sobre as tendências da moda: novas fragrâncias e raças de gatos.
 - Responsável pela gestão dos recursos humanos da loja - colaboração essencial para o elevado padrão de desempenho do pessoal, visando o aumento da produtividade.
 - Colaborando na representação da empresa (várias vezes premiada) em eventos de promoção das marcas de excelência que muito contribuem para o crescimento da economia nacional.
 - Colaborar na área da fiscalidade, para que tudo bata …

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…