Skip to main content
O PODER DOS BLOGS

Ammar Abdulhamid é um novelista sírio, autor identificado de um blog onde escreve comentários políticos; nos últimos dois anos tem chamado ao presidente da Síria estes pequenos mimos: ladrão, ditador, Mr.Bean, aldeão idiota e Fredo Corleone (mafioso, portanto).
O autor luta pela substituição do actual regime por um governo eleito.

Agora escreve a partir de Washington, para onde foi exilado pelo governo sírio, e organizou um grupo de bloggers árabes com o objectivo de proteger os dissidentes do seu e de outros países no Médio Oriente.
Disse Abdulhamid à revista Newsweek: "se for permitido aos regimes afastar-nos da blogosfera, não nos restará mais nada".

No Egipto, um outro blogger, usando nome fictício, criticou severamente o regime do presidente e apresentou provas, o que seria impensável na imprensa controlada, e que causou extremo incómodo.

A propósito deste fenómeno e da sua importância na luta contra os regimes ditatoriais, corruptos, etc., diz o egípcio Elijah Zarwan, da Comissão dos Direitos Humanos: "os governos nesta região ainda não tomaram na devida conta o fenómeno dos blogs".

Comments

Será que está a inventar um comportamento inovador?

Será que tem acesa a chama da blogofilia?!
Eu, a inventar? Não, nem por sombras. Estou a dar a conhecer casos (e opiniões fundamentadas) em que não há medos que cerceiem o recurso ao uso dos blogs como espaço de liberdade (responsável) de expressão,em situações extremamente difíceis.
Meu caro

A liberdade nos EUA não existe. Tem obrigação de saber isto. Eles são manipulados pelos americanos e portanto parece-me um mau exemplo, mas você é que sabe...
Caro "altoparlanti stereo":
Não quero contradizer as considerações que tece sobre a falta de liberdade (de expressão?)nos EUA.
Mas não percebo - sinceramente não percebo - o que é que isso tem a ver com o texto que escrevi sobre o Poder ou a Força dos blogs, acrescentando-se ainda o facto dos "bloggers" referidos serem de países do Médio Oriente.
CÁ FICO said…
Há sempre alguém a tentar por a rolha na boca...procurando ou criando arguments efactos que lçhessejam favoráveis....
mas o negócio dos telemóveis , que são altamente nocivos para aordem internacional...servindo até como despoletadores de bombas terroristas.. deles porque a sua in´dustria ´+e já um portento..ninguém dis mal...mas os mesmos não sºão necessáriamente e apenas um bem... assim como qualquer invenção a começar pelo martelo que tanto serve para construir como para destruir...


como diria Santo Agostinho " MAU NÃO É O COMÉRCIO - MAUS PODEM SER OS COMERCIANTES" !!!

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…