Skip to main content
MÉDICOS-POLÍCIAS

A notícia de rodapé no noticiário da RTP1 dizia que o Ministro da Saúde tenciona mandar médicos para a Madeira para que a lei (do aborto) seja cumprida. Um pouco mais tarde ouvi a notícia na TSF, e embora não sendo exactamente assim, é, talvez, ainda pior.
Vamos por partes:
Não é o Ministro da Saúde quem tem de fazer cumprir a lei do aborto na Madeira; trata-se duma Lei da República, extensiva a todo o território nacional, o qual tem um único Presidente da República, e de quem esperava outra atitude bem diferente do "lavar as mãos" de há poucos dias.
Tentar suavizar (posição assumida pelo Ministro da Saúde) o clima de crispação e antagonismo existente na Madeira, enviando médicos "já e em força", é ainda pior solução.
Basta de paninhos quentes!

Comments

A autonomia é preciosismo que continua a alimentar polémicas!


Basta de desvirtuar a justiça!

Será que a "sacrossanta autonomia" é a mãe de todas estas estultícias?!
CÁ FICO said…
A questão madeirense não é estulta...OS Socialistas não sabem lidar com o espirito do Madeirense, porque são continentais e colonialistas...e aprova está na atitude do ministro da saude...Aberto João - Soba da Madeira ( Madeira pertence ao continente africano lembrem-se sempre disso...).
agora que esta coisa de fechar maternidades e abrir lugares de abortamento cai mal ao Povo Português, e tab claro aos madeirenses disso não tenhamos dúvidas e ser´uma das causas de um resultado eleitoral menos bom para o partido no poder...A sorte do PS é que as oposições são também favoráveis às práticas abortivas pois o fazem dentro dos seus próprios partidos que se auto abortam nos seus próprios projectos e linhas de acção e programação...Caso contrário há muito que o PR já teria dissolvido o Governo...Aprincipal instigadora desse mal estar na saude chama-se Helena Roseta com a sua IVG, que conseguiu divirir os Guterristas, grande base de apoio dos Socráticos, e que depois do incendio interno acabopu por se por ao fresco..mostrando que nunca passou de uma "meia laranja"...

Popular posts from this blog

PALAVRAS E SENTIMENTOS

     Filho de um agricultor com uma plantação de amendoins, o pequeno Jimmy cresceu num são ambiente familiar, marcadamente religioso, e pobre: a casa onde cresceu não tinha água corrente nem electricidade. Na Geórgia, nos Estados Unidos da América.
     A escola abriu-lhe os horizontes que haveriam de o levar a conseguir a concretização do seu desejo maior: ser um Homem!
     E conseguiu.

     Sempre bom aluno, na universidade seguiu engenharia. Admitido à Academia Naval dos Estados Unidos, terminou o curso entre os dez primeiros, numa longa lista.
     Serviu nos submarinos. Mais tarde, entrou na área da advocacia.

     Não sendo homem de grandes falas, usava-as com o sentido preciso do juízo e do apreço, com genuíno sentimento, mas nem sempre bem compreendido.

     Cumprido o seu dever como militar e tendo dado todo o seu saber ao seu país, deixou a Marinha no posto de capitão-de-mar-e-guerra.

     Falamos de Jimmy Carter.

     Governador do Estado da Geórgia, candid…

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.