Skip to main content
SABUJOS

Odeio sabujos!
Essa espécie de gente menor mete-me nojo. E é perigosa porque é traiçoeira e cobarde. Os lambedores de botas são vermes imundos que contaminam a sociedade.
E o grande mal é que eles andam por aí!

Há-os por todo o lado, e um exemplo acabado do chico-esperto, mais ambicioso que o "chefe", como convém, foi dado recentemente por um alto funcionário e conselheiro da Administração americana, que era de opinião que a prisão na base de Guantánamo deveria aumentar para o dobro (para se impor autoridade!). Isto numa altura em que por esse mundo fora se discute o seu encerramento, pelas razões sobejamente conhecidas.
Um conselheiro lacaio, que não sabendo que o presidente havia mostrado o desejo (finalmente!) de encerrar Guantánamo, para calar as vozes, mostrou todo o seu carácter pelas declarações que proferiu.
Se fosse cá, os sabujos deste quilate cairiam nas boas graças dos "patrões".

Comments

CÁ FICO said…
sendo o patrão maior deste pais o poder autárquico, e seus apaniguados...logo não seria melhor fechar defenifivamente esse poder de modo a profilácticamente acabar com a proliferação dessa praga?
Guantánamo é uma nódoa nos direitos humanos e na tão propalada "civilização ocidental" de que os americanos querem e sempre se arrogaram ser os paladinos e os guardiões.

Valha-nos Deus
Guantánamo é um espinho atravessado na garganta dos americanos e um péssimo exemplo para o mundo civilizado. Dizia-me há pouco tempo uma amiga americana, a propósito desse cancro e da invasão do Iraque: "tenho vergonha daquilo que o nosso presidente tem feito, e nós, americanos, devíamos pedir desculpa ao mundo". Mas Bush está apoiado na "sua máquina de interesses" e rodeado de sabujos.

Popular posts from this blog

PALAVRAS E SENTIMENTOS

     Filho de um agricultor com uma plantação de amendoins, o pequeno Jimmy cresceu num são ambiente familiar, marcadamente religioso, e pobre: a casa onde cresceu não tinha água corrente nem electricidade. Na Geórgia, nos Estados Unidos da América.
     A escola abriu-lhe os horizontes que haveriam de o levar a conseguir a concretização do seu desejo maior: ser um Homem!
     E conseguiu.

     Sempre bom aluno, na universidade seguiu engenharia. Admitido à Academia Naval dos Estados Unidos, terminou o curso entre os dez primeiros, numa longa lista.
     Serviu nos submarinos. Mais tarde, entrou na área da advocacia.

     Não sendo homem de grandes falas, usava-as com o sentido preciso do juízo e do apreço, com genuíno sentimento, mas nem sempre bem compreendido.

     Cumprido o seu dever como militar e tendo dado todo o seu saber ao seu país, deixou a Marinha no posto de capitão-de-mar-e-guerra.

     Falamos de Jimmy Carter.

     Governador do Estado da Geórgia, candid…

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.