Skip to main content

CONFERÊNCIA 4

"Uma proposta para um Serviço de Transportes Públicos Póvoa de Varzim/Vila do Conde" foi o tema da Conferência sobre Mobilidade Sustentável, realizada na última Sexta-feira, 30 de Março, fechando assim este Ciclo de Conferências.
O orador foi o Prof.Eng. Carlos Rodrigues, da Faculdade de Engenharia do Porto (FEUP), e que em Março de 2004 havia apresentado na Assembleia Municipal da Póvoa um estudo encomendado pela Autarquia, com vista à criação de um sistema de transportes comum às duas cidades vizinhas.
O Eng. Carlos Rodrigues, também nessa altura, fez o estudo para o sistema de transportes públicos de Vila Real, encomendado pela respectiva Câmara Municipal; posto em execução, superou logo e muito, todas as expectativas. É um sistema de sucesso!
O estudo encomendado pela Câmara da Póvoa (e que nós pagámos) foi metido na gaveta! Foi agora trazido à luz do dia pelos Vereadores eleitos nas listas do PS e pelo Grupo do Urbanismo e Mobilidade do PS, com a apresentação do Projecto BOLINA, que tem tido o melhor acolhimento e recebido os maiores elogios por parte de quem sabe da matéria. No entanto, os presidentes das Câmaras da Póvoa e de Vila do Conde estão contra; para eles não é necessário um sistema de transportes públicos que sirva as duas cidades! Será isto normal?

Nota: a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim foi expressamente convidada para estar representada nesta conferência. Recusou!

Comments

Caro comandante:

Não sei qual o motivo da surpresa, francamente.

O Projecto Bolina visa apostar na defesa de valores nobres, como o ambiente mais puro, uma satisfação de necessidades colectivas de molde a proporcionar mais mobilidade e menos sobrecarga de dióxido de carbono e outros gases letais no ambiente. Em suma: a defesa do interesse colectivo e da saúde pública, tout court...

Esta câmara da Póvoa norteia-se pela defesa acérrima e intransigente de outros valores. Sobrepõe ao interesse colectivo o interesse de grupos, de lóbis, de task forces que lhe retribuem com generosidades evidentes na época eleitoral. Daí as estratégias eleitoralistas, à frente de tudo.

Com os parques de estacionamento agora feitos, este Projecto Bolina iria colidir frontalmente com essa estratégia. Daí a postura da câmara, assente no "eixo do mal", é certo, mas com um pragmatismo eleitoralista óbvio.

O povo, estará amadurecido para perceber isto?

Esta é que é a grande incógnita!

O povo da Póvoa já mostrou que é capaz de pensar. Errar uma vez ou duas é humano, vezes demais...
Caro "rouxinol de bernardim",
Inteiramente de acordo com as suas opiniões e com as questões que levanta. Na Póvoa (nunca esquecendo o concelho)há muita gente que não pensa pela sua própria cabeça (pode-se fazer alguma coisa por isso?), e há uma multidão, que até é capaz de pensar, mas que continua à espera que passe o próximo...autocarro!

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…