Skip to main content

Posts

Showing posts from January, 2007
A PRÁTICA DA CIDADANIA

Saiu no "Público", há poucas semanas, a notícia de uma queixa apresentada ao Ministério Público contra - imaginem - nada mais nada menos que um ministro do actual governo. Sua Excelência dá pelo nome de Mário Lino, e tutela a importante pasta das Obras Públicas, Transportes e Comunicações.
A queixa, que tem muitos mais detalhes do que os que então vieram a lume, foi formalizada por uma dezena de cidadãos que se indignaram com as palavras proferidas pelo governante durante uma deslocação que fez a Madrid: declarou-se iberista confesso, e para dar relevo à eventual (e desejável?) união das duas nações ibéricas, até falou em espanhol...
Um ministro, em visita oficial ao país vizinho (que naturalmente o recebeu bem, porque Portugal defende o melhor que pode os interesses espanhois), não é propriamente um vendedor de mercadorias ou projectos, e mesmo que se sinta mais espanhol que português, não pode pronunciar em público essas suas ideias.
Foi …
A PAZ ACABOU!

Os cinco membros do Conselho Permanente das Nações Unidas podiam fazer muito mais pela paz (e pela felicidade) no mundo, se a ONU tivesse feito as reformas que são necessárias, mantendo-se a Organização no mesmo ponto em que estava em 1945, quando foi criada.
Até que surja uma desejável e urgente reforma na sua estrutura, os governos e demais organismos do poder têm que influenciar aqueles cinco membros, e insistemente os membros(temporários) do Conselho de Segurança. E até que algo de novo aconteça, assim vai a Paz por esse mundo, sabe Deus como...

Na Póvoa de Varzim a Paz acabou oficialmente no dia 13 de Janeiro passado, com uma cerimónia que a Câmara organizou a apadrinhar a ideia, já com alguns anos, de um poveiro. Mesmo que as cerimónias passem para além dos limites da Póvoa, e se estendam ao país inteiro, os efeitos práticos serão sempre reduzidos. Resta a intenção, mas não nos devemos dar por satisfeitos. Temos que aprender a lutar pela Paz!

Faz …
A REVOLTA DO LIXO

Depois de trocados os votos de um bom ano novo, com os desejos de saúde e uns trocos, retomo a "blogo-escrita" com uma declaração de revolta: a revolta do lixo!

Quero aproveitar o tão querido lema do nosso autarca-mor, o do "utilizador-pagador", para proclamar que não pago o lixo. Revolto-me!

Explico:
- Eu entrego e ofereço o lixo, que alguém aproveita;
- Eu não utilizo o lixo que ofereço;
- Se não utilizo o lixo, não o pago!