Skip to main content
OS BURROS TÊM PENAS?

Leio no "Póvoa Semanário" (on-line) e pasmo ao saber que na reunião camarária de ontem, 18 de Dezembro, presidida por Aires Pereira (o presidente voltou a faltar), foram rejeitadas as propostas dos vereadores socialistas no sentido de se fazerem ligações subterrâneas no parque de estacionamento da Avenida Mouzinho: uma com saída junto ao Garrett e outra junto ao Mercado.
Estacionando os carros no parque, as pessoas não teriam que vir e andar à superfície (à chuva e ao vento). Seria melhorar a qualidade de vida. Assim se faz noutras cidades geridas por pessoas que sabem pensar e colher ideias.
A justificação apresentada para a rejeição não tem pés nem cabeça. Se a "científica" concepção do parque não se lembrou da ideia, podiam ao menos aproveitá-la agora, dada de " mão beijada".
A demagogia, o orgulho saloio e a falta de senso sobrepuseram-se aos interesses da cidade!

Comments

mfc said…
Os interesses que presidiram à sua construcção continuam a preponderar.
Todavia acho que o Sr. Presidente , o sr. Monte & Adriano, é coerente nas suas opções!
E mais não digo, que eu fui colega do "outro" no Liceu!!
Os burros não têm... mas merecem a
"pena maior", às vezes...

Talvez o "outro" dissesse:
Tudo vale a pena... excepto quando a burrice não é pequena!
CÁ FICO said…
tÊM sIM...nO MINIMO TRABALHO A FAVOR DA COMUNIDADE,..e no máximo a pena de Morte... que serve para alimentar outros burros.. e há burros que até tem pena de o ser porque representam um partido politico norte americano...eh! eh!..

e são menos burros de que os próprios que não tem pena nenhuma...
focode said…
Amigo Figueiredo, estamos entregues aos bichos
Bom Natal. Abraço.

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…