Skip to main content
HÁ UM PARAÍSO NA TERRA!

«As praias, os hotéis, os bares e restaurantes, as lojas e vários espaços de desporto e lazer enchem-se de gente que vê no concelho o destino de excelência para as suas férias. O tempo foi capital, com tardes quentes, convidativas a um mergulho no mar, e noites mornas e limpas, tornando muito apetecíveis as esplanadas e os passeios descontraídos pelas ruas e as avenidas.
Esta procura, entusiasmada, é sustentada num programa anualmente valorizado de acções de animação cultural, multidisciplinar, que proporciona alternativas de divertimento aos residentes e visitantes, que defende e difunde aquilo que são as suas gentes, usos e costumes, reforçando, cada vez mais, a ideia de que É BOM VIVER AQUI».

Este é parte do texto da Folha (mensal de propaganda) Municipal da nossa cidade, referente ao mês de Setembro de 2006.

O título que encabeça o texto, se fosse verdadeiro, haveria de «vender» férias e serviria para desenvolver o Turismo: «Um extraordinário tempo de férias, em passeio alegre e um verão capital».

São 23.500 exemplares da Folha distribuídos gratuitamente aos poveiros que, se não conhecessem a sua terra e o que por lá se passa, passam a conhecer...

Comments

A terra merece todos os adjectivos pois é linda, hospitaleira, sedutora.

Agora que há uns "entretantos" que a tornam menos bela e menos sedutora é um facto; há que reconhecer alguns óbices, sem, no entanto, deixar de entronizar esta bela cidade que ombreia com as melhores; os "tratadores" terão que olhar para os inestéticos apêndices pilosos da donzela, terão que lhe extraír os excessos de gordura nos locais menos aconselháveis, enfim, talvez ela se torne uma "miss Portugal"...

A Póvoa tem talentos. A câmara faz bem em elogiá-los. Esconder os defeitos? É o papel que lhe resta por não ter sido a esteticista mais abalizada deixando a cliente no estado a que chegou.

Mudança de esteticista?

Talvez... a livre concorrência ditará as suas regras. Só espero que as regras não sejam desvirtuadas. Por quem?

Pelos desvirtuadores do costume: caciques empoleirados nos ramos do poder, padres ajoelhados ao óbulo presidencial, jornalistas sem coluna vertebral, etc., etc..
Para «rouxinol de bernardim»:
Agradeço o comentário positivo e ampliador. A bem da Póvoa. Haja agora quem tome dele boa conta.
Todos gostaríamos que a Póvoa fosse isso, e cada vez melhor. Condições naturais não faltam e os poveiros são boa gente. Há é que saber tirar partido e rentabilizar tais qualidades com programas bem estruturados. Creio que nisso estaremos todos de acordo.
O que acho mal é poetificar em abundância nos folhetos(que pouco dizem do que de importante houve ou se fez)quando a realidade chega a ser bem diversa(como neste verão que passou).
Talvez a redacção do panfleto possa ser aproveitada para a promoção turística do próximo ano...

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…