Skip to main content
MISERÁVEIS NÚMEROS

O jornalista Ângelo Teixeira Marques assina a notícia do «Público» de hoje, 08 de Julho, sobre o programa de apoio às habitações degradadas apresentado pelo PS-Póvoa, e na qual inclui números do diagnóstico social do nosso concelho, elaborado pela própria autarquia.
Números que mostram uma realidade triste que teima em passar ao lado das preocupações de quem tem por primeira obrigação do seu exercício cívico procurar o bem-estar dos munícipes; números que se escondem na injustiça social que cresce em cada dia que passa; números que representam pessoas excluídas do progresso e que gritam sem voz.
Responsáveis somos todos, e de há muito, mas não tem perdão um Câmara PSD, esbanjadora, que sistematicamente ignora as carências e as prioridades, deixando de cumprir o seu compromisso social.
Quando esta Câmara PSD e os seus deputados municipais (incluindo os presidentes de junta de freguesiaPSD, cúmplices na manutenção do quadro de miséria em que tanta gente vive), aprovam a construção do parque subterrâneo da Avenida Mouzinho, no centro da cidade, valendo-se do lugar-comum (não justificado), de que é uma obra que vai melhorar a qualidade de vida dos poveiros, então a culpa desta situação de atraso e pobreza passa toda para os seus ombros.
Estes números da miséria poveira vão pesar-lhes ainda mais nas suas consciências.

Comments

UNIVERSALEX said…
o ACTUAL SISTEMA DE HABITAÇÃO SOCIAL NÃO SERVE AQUELES QUE REALMENTE DELE NECESSITAM...
Já o disse isso em plena Assembleia Municipal da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim,e ao qual apenas prestou atenção o Hoje vereador Afonso Oliveira...Sempre fui e continuo defensor do Direito à AUTOCONSTRUÇÂO..os que me conhecem sabem bem disso! O PS está AGORA no BOM CAMINHO..mas precisa de fazer ainda mais pelo apoio aos cidadãos e municipes..

A habitação social como está ainda estruturada é apenas uma mina para os BANCOS e para as Construtoras Imobiliárias... O cidadão comum que quer um terreninho paredificar a sua habitação ou que tem um terreninho e quer lá construir a casa para morar nela sót em impecilhos e dificuldades de toda a ordem...

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…