Skip to main content
A VARZIM LAZER PROMOVE AS CIÊNCIAS

O tema «Fui à VL-E.M.- forneceu, neste blog e noutros meios, elementos que me poderiam levar a traçar vários figurinos sobre aspectos do comportamento humano, o que daria para um Ensaio.
Ensaio, antes, e mais aligeiradamente, algumas considerações a propósito.
Gostei de constatar a participação de alguém que não só reforçou o que havia escrito - e que valoriza a importância do caso - como também corrigiu a «minha» matemática, no que respeita ao valor do IVA subtraído aos munícipes. A minha intenção não era discutir a exactidão das «décimas», mas sim o significado do custo acrescido que resulta para os utentes, caso aquela E.M. tivesse sido bem parida.
A V.L. promoveu, então, a Matemática.
Depois passou-se à fase do entendimento do critério, e promoveu-se a discussão Política. Entre um e outro debate revelou-se a Filosofia.
Ainda bem!

Por outro lado, e a propósito do meu texto, fui dado a saber que a Varzim Lazer (Piscinas) TEM vigilantes, que NÃO vigiam (como afirmei) , mas que ESTÃO lá, como dizem. Aqui, passamos para outro campo bem distinto, que é o das Ciências ...Ocultas!

P.S.- As reuniões da VL - as tais que garantem as obscenas importâncias das senhas de presença pagas ao Dr.Vieira - serão também ocultas?

Comments

UNIVERSALEX said…
Estimado comandante...

O mérito não é da VL , mas sim do Dr Nunes que nos fez ver quanto paga o consumidor final em IVA...
e no caso da VL é uma enormidade...Uma dupla enormidade!
Primeiro porque é um abuso os preços que se dizem ser só para "gente bem"...compreendo que não queiram lá ter os "porcos" dos "proletários" como é o meu caso...Mas se querem "luxos" então paguem-nos...E não vão aos bolsos dos contribuintes e muito menos aos cofres da CMPV para financiarem "luxos burgueses"...atendendo que par se tomar um "higienico banho de chuveiro ou banheira em casa se gasta o equivalente a um euro que fica mais barato encher a dita cuja de vinho ou de leite..atendendo ao preço que custa a agua na Póvoa...que serve repito para manter os luxos da "high life"...existe um nome lupanar para esse tipo de gente,que não me atrevo apronunciar por decoro para com as lupanares que me merecem mais respeito do que esses!
UNIVERSALEX said…
Segundo porque o serviço apresentado já existia e satisfatóriamente prestado pelo Desportivo e de um modo mais económico e democrático
JCNunes said…
Hoje lancei a mim próprio um novo desafio, e resolvi partilhá-lo com outros bloggers (da Póvoa, ou não), fotógrafos (amadores ou profissionais), ou a qualquer outra pessoa!

Criei um novo blog:

Póvoa em Imagens

A ideia é simples, e penso ser nova, pois não conheço um blog semelhante entre os blogue da Póvoa mais famosos: criar um blog exclusivamente para publicar fotos (de qualquer tipo) e quem sabe até pequenos videoclips da nossa terra. Uma paisagem, um monumento, um retrato, algo que está bem ou está mal, fotos antigas digitalizadas, … Vale (quase) tudo desde que seja tirado na Póvoa!

Para isto conto com a colaboração de todos… Para colaborar enviem as vossas fotos para povoaemimagens@gmail.com, e estas serão seguramente publicadas caso satisfaçam os requisitos do blog. Não haverá censura.

Quem já estiver familiarizado com estas andanças dos blogs pode também enviar-me uma pequena mensagem caso deseje ser também colaborador deste blog e postar directamente fotos, gostava que este blog não fosse só “meu”, e que muitos dos célebres bloggers poveiros, que certamente têm também algum gosto pela fotografia, fossem colaboradores. Quem sabe se juntos não fazemos do blog mais uma referência entre a blosféra poveira:)…

Fico a aguardar os vossos contactos…

Popular posts from this blog

PALAVRAS E SENTIMENTOS

     Filho de um agricultor com uma plantação de amendoins, o pequeno Jimmy cresceu num são ambiente familiar, marcadamente religioso, e pobre: a casa onde cresceu não tinha água corrente nem electricidade. Na Geórgia, nos Estados Unidos da América.
     A escola abriu-lhe os horizontes que haveriam de o levar a conseguir a concretização do seu desejo maior: ser um Homem!
     E conseguiu.

     Sempre bom aluno, na universidade seguiu engenharia. Admitido à Academia Naval dos Estados Unidos, terminou o curso entre os dez primeiros, numa longa lista.
     Serviu nos submarinos. Mais tarde, entrou na área da advocacia.

     Não sendo homem de grandes falas, usava-as com o sentido preciso do juízo e do apreço, com genuíno sentimento, mas nem sempre bem compreendido.

     Cumprido o seu dever como militar e tendo dado todo o seu saber ao seu país, deixou a Marinha no posto de capitão-de-mar-e-guerra.

     Falamos de Jimmy Carter.

     Governador do Estado da Geórgia, candid…

A Saúde dos Outros

A SAÚDE DOS OUTROS

1. Depois da intervenção cirúrgica à outra anca, o prestigioso ortopedista, professor catedrático, elaborou o requerido relatório para avaliação do grau de incapacidade, a ser certificado por uma Junta Médica, como manda a lei. Aplicou-se a tabela em vigor: 65% de incapacidade motora.
     Uns anos depois nasceu uma nova versão da lei, neste particular da saúde, com diminuição nos parâmetros, para "maior rigor e transparência". Nova avaliação.
     Reunido o trio da Junta Médica (um clínico era muito novo), debruçaram-se sobre o novo relatório, semelhante ao anterior, e após algumas perguntas de circunstância e alguma cogitação, decidiram o novo grau de incapacidade: 62%!
     A continuar assim, qualquer dia o utente da saúde ficará em estado de novo e dispensa as próteses!

2. A professora tinha cancro há alguns anos, e estava a fazer tratamento. Notava-se claramente, e custava-lhe muito ter que enfrentar os seus alunos. Para além do sofrimento físico, tinha qu…

COUVES E TRAPOS

COUVES E TRAPOS

     Tive que esperar largos minutos até chegar a minha vez para comprar selos.
 À minha frente estava uma mulher do povo, fortalhaças, vestida de preto, e na casa dos cinquenta.
     Era impossível não ver nem ouvir a funcionária dos correios ir contando, e cantando, as notas que ia colocando no balcão: cem, duzentos, trezentos, quatrocentos, quinhentos...
     Fiz um esforço para não ouvir mais.

     Olhei à volta e calculei, pelo que vi, que devia ser dia de pagamento de pensões.

     Curiosamente, àquela mesma hora discutia-se no Parlamento - no nosso Parlamento - a questão ignominiosa dos contratos de trabalho precários e correspondentes vencimentos miseráveis, que atingem milhares de pessoas, muitas delas com formação superior; e, como se verifica, há deputados, alinhados com certo tipo de patronato, que ainda gastam o seu tempo a discutir este problema, que nos envergonha.

     Fiquei a matutar naquela cena passada nos correios. Aquela cara não me era estranha! Creio j…