Skip to main content
CINE-TEATRO GARRETT

Uma boa notícia que nos dá o «O COMÉRCIO DA PÓVOA DE VARZIM», na sua edição de hoje, 16 de Março de 2006: «as obras no Cine-Teatro Garrett deverão começar em breve. Neste momento o projecto está a ser ultimado e deverá ser levado brevemente à aprovação do executivo municipal (...)». E mais à frente, a mesma voz autorizada do Vereador da Cultura (Dr.Luís Diamantino), diz acreditar «que o Garrett possa estar operacional em finais de 2007»!
A mesma notícia termina com um «mimo» oferecido aos poveiros: «a norte do Porto ninguém tem uma fonte de Cultura e isso implicaria que a Póvoa, com o Garrett, se poderia tornar no centro cultural de toda esta região».
(a propósito: Vila Nova de Famalicão tem a programação cultural que se conhece,
dista uma vintena de quilómetros da Póvoa, e fica a norte do Porto).

Vale a pena ler a reportagem oferecida pelo suplemento«Sete» da «Visão», também de hoje, 16 de Março, referindo o Teatro de Vila Real como um caso de sucesso, que consegue sempre muito público, num País pouco dado aos espectáculos teatrais.
Alguns números: em 2004(apenas em 9 meses), 351 espectáculos, 58 mil espectadores; em 2005, 432 espectáculos, 69 mil espectadores; média de ocupação: 89 %. O orçamento foi de 830 mil euros em 2005 e cerca de um milhão para 2006; SEM apoios estatais, a autarquia assegura 55 % da verba, sendo o restante gerado pelo Teatro através da bilheteira.

Dá que pensar: o êxito do Teatro de Vila Real (que já se conhecia, aliás), e o «avanço» nas obras do Garrett, que arrancaram com o enorme cartaz, começaram de facto com a «prata da casa» e, quando já se pensava no dia da estreia(«está para breve...»), anuncia-se que as obras vão COMEÇAR!

Comments

UNIVERSALEX said…
Teatro para que^epara quem?
CÁ 70 said…
Caro Comandante, o Vereador da Cultura poveiro devia ir a Guimarães, ao Centro Cultural Vila Flor... Se tiver um pouco de lucidez, enverginha-se por estar repetidamente a enganar os Poveiros incautos.
E quanto ao Garrett, depois da intolerável acção de propaganda eleitoral que foi montar substituir o enorme cartaz de publicidade por um taipal à frente do edifício e dar a entender que a obra estava a fazer-se, o que realmente acontece é que apenas se demoliu o interior, o projecto está a fazer-se, e nem sequer está assegurado o finaciamento à construção (basta ver o PPI e Orçamento para 2006)... Chega de tanto embuste...Não consigo entender como é que se consegue enganar tanta gente, ao mesmo tempo, mais do que uma vez!!!

J.J.Silva Garcia
Caro Arquitecto,
O seu comentário, que está naturalmente correcto, é elucidativo, pelo que só posso concluir que a tacanhez abunda e tresbunda pelo pelouro da «nossa» cultura. Não ficava nada mal a sua excelência o vereador da cultura (intencionalmente tudo com letras minúsculas)desse uma saltada a Guimarães(pode ir no carro que lhe está atribuído, porque vai em serviço...), e copiasse o que lá seja capaz de ver e aprender.
Além de também não compreender como se consegue ludibriar tanta gente, tenho uma outra dúvida, que me preocupa profundamente: COMO É QUE HÁ AINDA TANTA GENTE QUE SE DEIXA ENGANAR DESTA FORMA?
CÁ FICO said…
Quemé o vereaador da cultura?
Alguém sabe?
Caro «cá fico»,
Creio que sei a resposta à sua preocupante questão: cá para mim, pelo que tenho observado ao longo dos tempos, deve ser uma máquina de...FOTOCÓPIAS.Para bom entendedor...
Tony Vieira said…
Tudo isto é muito caricato, porquanto foi uma "Folha Municipal" de Maio de 2005 que inspirou a existência do povoaonline. Essa Folha tinha como título "Vem Aí o Garrett".

As últimas notícias dizem que estará pronto em final de 2007. Tem que se começar a punir a mentira.

Vamos ver em 2007.

O Carias e o Duardo estão sempre a ser requisitados para outros serviços, como é que o Garrett pode ficar pronto.

Por outro lado, se a cidade respirasse cultura, teatro, cinema, música, exposições, a urgência do Garrett tornava-se mais premente.

Mas não.
Se nestas e noutras questões a Póvoa se assumir como um satélite do Porto... Morre! Não será mais que um subúrbio.
Caro Mário de Sá Peliteiro,
Receio bem que o seu prognóstico esteja(ou venha a estar)mais do que acertado, e por essa razão, se gostamos da nossa Terra e queremos fazer algo por ela, temos que agir.
As coisas não podem ser feitas isoladamente: tudo deve obedecer a um planeamento e a uma estratégia BEM definida,e nunca resolver os problemas de forma casuística(e sempre fora de interesses particulares).
Falamos de Cultura: pouco, ou quase nada, se faz por estas bandas.
A chegada do Metro à Póvoa pode até, neste aspecto, ser gravoso: as pessoas VÃO para o Porto(e outras terras), e a Póvoa só não fica deserta porque haverá muita gente que vem para o ...dormitório, com a barriguinha(e o espírito) cheia de cultura.
Eis, portanto, a urgência que existe em promovermos , de forma consciente, consistente e duradoura, a cultura na Póvoa, com realce para a nossa própria identidade cultural.
CÁ FICO said…
Já percebi!

O teatro Poveiro é Político...Partidário...

Vão todos ficar em cena em 2007...Realizador- Cá-70
...Cénógrafo- Tony Vieira
.....(povoaonline)
... Produção: Boticário de .....Provincia
....Artista convidado: ..Sextante ...Poveiro
Personagens e interpretes:
...Cá 1000, Cá Estou, e sucessores
...Meninos eu vi,Zé Povinho,e comandita...
...Publicidade: Voz das tricanas da póvoa
Criticos de teatro:
...cá-fico;muitogrosso;

Popular posts from this blog

AS GUERRAS DOS OUTROS

AS GUERRAS DOS OUTROS

     Em 9 de Abril de 1918 - há cem anos - o Exército Português (as Forças Armadas portuguesas) combatia no inferno de La Lys, no Norte de França, ao lado das tropas francesas contra as poderosas forças alemãs, depois da declaração de guerra da Alemanha a Portugal.
     Morreram muitos milhares de soldados portugueses, e muitos milhares ficaram feridos e com graves doenças.

     Hoje foi dia de homenagear com solenidade tantos heróis - sim, todos foram heróis - e as suas famílias. Nunca serão demasiadas as justas palavras que se digam, e também nunca secarão as lágrimas que por eles se choram.

     Hoje, e num acto de solidariedade e fraternidade, também deveria ser dia de honrar os militares portugueses que, mesmo não envolvidos numa guerra, estão prontos, por juramento solene, a defender a nossa Pátria.

     Na mesma Primeira Grande Guerra, muitos soldados indianos foram recrutados para combaterem na Inglaterra, ao serviço do seu rei-imperador. Um dos súbditos solda…

AMANHÃ, A MADRUGADA

AMANHÃ, A MADRUGADA


     É cálida a noite.

     As aves vigiam, guardando silêncio.

     Suave é a brisa, acariciadora.

     A lua, matreira, resguarda-se numa nuvem.

     As estrelas dão as mãos e sorriem.


     Tempo de vésperas.

     É chegada a hora dos audazes.


     Um raio de luz aponta a alvorada, a tão desejada alvorada.

     O princípio da esperança, a eterna esperança.

     É a madrugada do futuro prometido.

O CV DE VANESSA

 O CV DE VANESSA


     Depois de anos de bons serviços - muito trabalho - a Josefa deixou de servir na casa do morgado, senhor da terra. Não importam as razões, mais as suspeitas que as conhecidas.
     Além da trouxa com os pequenos haveres, e da generosa paga, a Fina, assim conhecida, foi servir para outra casa. Levava consigo uma carta de recomendação a atestar o profissionalismo, a dedicação e a honestidade com que sempre serviu o senhor morgado.
     Valendo como passaporte para uma vida talvez melhor, a meia dúzia de linhas da carta de recomendação era o Curriculum Vitae daqueles tempos passados na quinta.

     Os anúncios de oferta de emprego são taxativos: M/F (será escolhido o candidato que der mais lucro à empresa); 12º ano de escolaridade (têm preferência os licenciados: no começo das carreiras não protestam); conhecimento de línguas estrangeiras (o português não é prioritário); experiência anterior (pesa pouco: se tem experiência, o candidato já não será um jovem); carta de con…